segunda-feira, 10 de março de 2008

Cuidado! Tem mais pecado à vista

Se o povo já dão dava conta de pedir perdão pela gula, luxúria, avareza, ira, soberba, vaidade e preguiça, agora a coisa ficou mais feia ainda. O Vaticano acaba de atualizar a lista dos pecados capitais e incluiu o uso de drogas, a manipulação genética, a desigualdade social e a poluição ambiental entre aqueles pecados que os tementes a Deus devem pedir perdão. É a igreja em tempos de globalização.

Se todos os que se dizem católicos deixassem de usar e comercializar drogas, de poluir o ambiente e respeitassem os seus desiguais, já estariam desbaratados os cartéis da droga no Brasil e nos países vizinhos; já estaria reduzida a produção e circulação de automóveis e o governo não precisaria lançar mão de programas como o Bolsa Família, o vale gás e muitos outros.

E pra lembrar da lista anterior, se todos os católicos respeitassem o preceito de não cometer os sete pecados capitais, não haveria tanto obeso, tanto pão-duro, tanta gente raivosa, tantos freqüentadores das Dalu da vida. E mais trágico pra nós, preguiçosos de plantão, estaria falida a indústria das redes.

2 comentários:

Sig Mundi disse...

Andarilha

Sempre digo que a religião só é lembrada em momentos de carência. Lógico que existem os religiosos fervorosos que acabam ainda sendo piores.

E a Igreja sempre se atualizou. É só lembrar que a escravidão era algo aceitável para a igreja a mais de 100 anos.

bjs

Andrea

andarilha disse...

Bem, dizem que o Vaticano aumentou a lista de pecados porque estava diminuindo o número de fiéis que se confessam. Nessa brincadeira, já são mais de dez os pecados capitais. Alguém tem que ter cometido algum deles. Não é possível que todos estejam tão em dia com suas obrigações!
Nem me lembro mais quando foi que ajoelhei num confessionário. Acho que foi na primeira comunhão, na época em que todos nascíamos católicos e éramos obrigados a ser batizados, fazer primeira comunhão e até chegar à crisma.
O problema é que muitos que se dizem católicos, só entram na igreja no casamento de algum parente ou amigo, ou no batizado de algum sobrinho ou filho.
Então, as estatísticas só podem passar uma idéia errada mesmo.