terça-feira, 29 de abril de 2008

De São Paulo para o mundo

Voltei de Brasília cantarolando os Caminhos do coração, música do Gonzaguinha. Toda vez que volto à capital federal (morei dois anos por lá) meu coração fica quentinho. Coisa dos amigos que vivem em Brasília e que me recebem sempre com os braços abertos. Ficam superfelizes com a minha chegada e ficam tentando adiar a partida. Mas Brasília é isso: só encaro de passagem.


Caminhos do Coração

Há muito tempo que eu saí de casa

Há muito tempo que eu caí na estrada

Há muito tempo que eu estou na vida

Foi assim que eu quis, e assim eu sou feliz

Principalmente por poder voltar

A todos os lugares onde já cheguei

Pois lá deixei um prato de comida

Um abraço amigo, um canto prá dormir e sonhar

E aprendi que se depende sempre

De tanta, muita, diferente gente

Toda pessoa sempre é as marcas

Das lições diárias de outras tantas pessoas

E é tão bonito quando a gente entende

Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá

E é tão bonito quando a gente sente

Que nunca está sozinho por mais que pense estar

É tão bonito quando a gente pisa firme

Nessas linhas que estão nas palmas de nossas mãos

É tão bonito quando a gente vai à vida

Nos caminhos onde bate, bem mais forte o coração

E aprendi ...

Final:

o coração, o coração

5 comentários:

Márcia disse...

Reikooooooooooooo, que lindo! Emocionei! Mas precisa botar meu bocão na mortadela, meu???? Fala sério! Saudade.

Patty Diphusa disse...

Sabe que Andarilha foi o melhor nome que vc poderia escolher, não? Está em vc, está na sua alma. E é tão bom ver como vc curte todos os momentos. Muito bom.

Bjs

Sig Mundi disse...

Ola Andarilha!

é sempre bom rever os amigos e aqueles que queremos bem. mas fecho com vc qdo diz que Brasilia soh de passagem...

bjs

Arthur

andarilha disse...

MOÇADA,

Não entrem neste 1° comentário - Blogger Fenridal disse.../ee Please Here

É virus e ainda não consegui ver com o administrador como excluí-lo.

bjs.

andarilha disse...

Caros e caras,

é verdade, andarilha é mais que apropriado pra mim.

No fundo, acho que a história já estava escrita. Afinal, meus pais cruzaram o oceano. Quando saíram do Japão, nem sabiam ao certo o que iam encontrar do lado de cá. Quem pode ser mais andarilho do que aqueles que se aventuram por países totalmente desconhecidos?

Mas também acho que tem a ver com a infância, quando minha mãe não me deixava sair pra brincar com as crianças na rua porque sempre tinha muita coisa pra fazer em casa como cozinhar, limpar etc. 10 irmãos, família pobre...

Quando alguém liga e pergunta se não quero ir a tal lugar, eu pareço aqueles cachorrinhos que não podem ver o dono se aproximar da porta e já abanam o rabo prontos pra sair. Portanto, podem continuar ligando!



bjs.