segunda-feira, 23 de junho de 2008


Estive em Extrema no domingo visitando a família de uma amiga dos tempos da faculdade. Extrema fica na divisa entre São Paulo e Minas, logo depois de Bragança, pra quem vai pela Fernão Dias. Relembrei dos inúmeros finais de semana passados ali, com a comida maravilhosa da Isabel, as conversas com o João, e as brincadeiras com os filhos dos dois. Agora encontrei João e Isabel com duas netas e um terceiro a caminho (os Flinstones encontrei no quarto das netas). Mas por que será que passei tanto tempo sem voltar à cidade?

As novidades por ali? A cidade se espalhou. Onde só existiam morros, agora estão casas; um edifício foi construído na parte alta da cidade. E o maior orgulho dos moradores é contar para os visitantes que a cidade se tornou rota de peregrinação dos devotos de Santa Rita de Cássia. Levam a gente até a igreja pra ver a réplica da imagem original que está na cidade de Cássia, na Itália, feita por dois artesãos italianos. A mando do atual Papa, Extrema foi transformada em co-irmã da cidade italiana. As outras novidades? Essas percebem-se já na estrada. Treze novas indústrias vão se instalar na cidade já a partir deste ano. Buscam mão-de-obra especializada, casas pra alugar e pra vender. Tá um bochicho só.

Aproveitamos pra passar no restaurante Taberna, que fica entre Extrema e Bragança Paulista. Ali comi muitas vezes a comida mineira feita pela avó dos meus amigos. Os queijos e os doces caseiros feitos ali mesmo, leitão, tutu, vaca atolada e tudo o mais que reza a boa comida mineira.

Puxa, fiquei super feliz. Um belo jeito de passar o domingo.

3 comentários:

casino gambling disse...

To the author of this blog,I appreciate your effort in this topic.

Patty Diphusa disse...

Deve ter sido uma delícia.

Sabe que minha filhota vai passar o próximo final de semana em Extrema? Olha só..

bjs

andarilha disse...

Vi que muita gente tá se instalando em Extrema e região. Dá pra perceber pelas placas de restaurantes. Tem cozinha francesa, alemã, portuguesa, e mineira, é claro!
Pensei até em abrir uma pousada por lá, já que tem tanta gente indo trabalhar nas novas fábricas.

bjs.