terça-feira, 2 de setembro de 2008

Círio de Nazaré, Patrimônio imaterial da cultura brasileira


Ainda impregnada da minha viagem a Belém, fui ver a exposição do Círio de Nazaré que está no Espaço Cultural Fiesp. É uma exposição simples, mas muito, muito bonita. São quatro mil peças em miniatura, feitas de miriti (é uma fibra muito leve e muitos enfeites são feitos com ela; é tão fina e delicada que a gente acha que vai quebrar) reproduzindo a procissão que acontece todos os anos no mês de agosto, em Belém. A procissão de miriti é super colorida e a gente vê muitos dos romeiros levando suas oferendas e promessas sobre a cabeça. Alguns levam a casa, outros o barco, outros ainda o peixe. São os desejos a serem transmitidos para Nossa Senhora de Nazaré durante o Círio, ou seja, a casa própria, o barco e a abundância do peixe. Ah, e todas essas miniaturas estão cercadas pela corda que é utilizada no dia do Círio.

Pra completar, inúmeros mantos que cobriram a santa em diferentes anos estão expostos também. Os mantos são ricamente bordados com miçangas, flores, fios de seda e outras pedrarias. A exposição fica só até sexta, dia 5 (das 9 às 18h) - Av. Paulista, 1313.

O Círio de Nazaré acontece todos os anos no segundo domingo de outubro. É uma tradição que começou em 1.700, ou seja, há 300 anos! No dia do Círio, o povo vai pra rua reverenciar Nossa Senhora de Nazaré, seja pra pedir coisas, ou pra agradecer pelo que se conseguiu durante o ano. Em todas as casas, um prato obrigatório é o pato no tucupi. Soube lá em Belém, que muitos encomendam o prato a cozinheiras famosas e que o consumo de pato é tão grande, que o comércio local chega a importá-lo do Canadá. Imagino que também deve ser reforçada a produção da Serpinha!

(foto: Divulgação)

2 comentários:

Patty Diphusa disse...

Andarilha, como sempre um ótimo post. Isso aqui é tudo de bom.

Agora, vamos falar a verdade, né. Esse reforço de Serpinha não veio à toa, todo mundo sabe o que vc colaborou para o desabestecimento de cerveja em sua passagem por lá. Tudo bem, confessa, está entre amigos.

bjs

andarilha disse...

Acho que vou ter que voltar lá pra Belém pra conferir se houve ou não uma mãozinha minha pra esse desabastecimento. E quem sabe, ver se a cerveja continua boa!