quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Quem fala sobre qualquer coisa...

A cada dia que passa tenho mais preguiça de ouvir ou ler o que determinadas pessoas tidas como formadoras de opinião falam ou escrevem. A última foi a do Caetano Veloso que declarou que o Lula é analfabeto, não sabe falar, é cafona falando e grosseiro. Tudo isso pra dizer que a Marina Silva não é nada disso, por isso, ele, Caetano, vai votar nela. Se existe uma coisa que eu admiro no Chico Buarque e imagino que ele seja admirado por muitas pessoas pelo mesmo motivo: ele não se presta a falar sobre qualquer coisa em jornais, revistas e televisão só pra aparecer. Coisa que o dito Caetano faz direto. Da minha parte, faço um esforço enrome pra separar o compositor Caetano do grilo falante Caetano, mas confesso que tá cada dia mais difícil. Por enquanto, ele continua de castigo e os CDs dele estão lá no fundo da gaveta.


A íntegra da entrevista está no Estadão de hoje.

5 comentários:

gentil carioca disse...

Pôxa, o cara falou trocentas coisas interessantes e inteligentes e tudo o que vc apreendeu foi a crítica ao Lula?!
Não é fanatismo demais não?
Ou é algo pessoal contra o Caetano?

andarilha disse...

Gentil carioca,

Eu li a entrevista toda. Não sou das que só lê o titulo e cai matando. Não se trata de fanatismo, nem algo pessoal contra o Caetano. Estou é cansada de gente que acha que tem que falar sobre tudo, fala demais e absolutamente sobre tudo e pouco vejo fazer. É como você diz: são trocentas coisas.

Nonô disse...

Olá, amiga!
Adoro ler os seus textos. Você vai chegando devagarinho, jogando flores, perfumes - até mesmo de pequi - para chegar até a nossa alma.E por falar em pequi está começando a sua temporada e seu cheiro já está se esparramando pelas matas do nosso Cerrado e pelas mesas do povo goiano. Está na hora de você nos visitar e degustar também os nosso licores, viu? Agora, além do licor de Pequi com Chocolate, a Noleto Licores também está produzindo artesanalmente os sabores de jenipapo e jabuticaba. Estão ótimos, modéstia à parte.

Mas,você, Andarilha, por essência, é também uma grande observadora e crítica ferrenha, quando é o caso. Também me senti ferida na alma com essa observação leviana e desproposital do Caetano sobre o Lula. Por três simples fatores: ele não é um analfabeto, ele está fazendo a melhor administração que o Brasil já teve em toda a sua história, considerando-se o interesse coletivo e não o individual; e eu o amo - também por um monte de coisas: porque ele é um companheiro de sonhos e de lutas; ele é simplesmente ele mesmo - um nordestino arretado, cabra corajoso, que não tem medo de se expor para defender o sonho da maioria dos brasileiros; ele é uma pessoa que não tem verniz e nem vergonha de ser feliz. E, por fim, pra eu não me estender mais ainda, eu adoro aquelas suas covinhas.

Por isso, assim como há anos não compro mais uma Folha de São Paulo (uma das principais pilastras do PIG - Partido da Imprensa Golpista), apesar de ter trabalhado em sua redação e ter vivido a ditadura do seu manual, vou seguir o seu exemplo e também vou engavetar os CDs do Caetano, pois sou daquelas que viveu, na luta e não fugindo comodamente para um exílio voluntário na Europa, os anos da ditadura brasileira. Caetano, que pena, sempre viveu em cima do muro e se borrando com o resto do mundo.

Marina Silva é uma pessoa maravilhosa e pode ser uma excelente presidenta do Partido Verde, mas não do Brasil. E não porque ela também é uma pessoa de origem muito humilde, mas porque não consegue ter a visão global de uma administração.

Andarilha, te adoro.
Venha dar umas voltas aqui pelo Cerrado?
Beijos,
Nonô.

andarilha disse...

queridíssima Nonô,
cheiro de pequi pelo ar? Que delícia. Aqui fico contando os dias pra começarem a vender pequi no meio da rua. Tem uma banca de frutas numa das esquinas da Vila Mariana onde todos os anos chegam alguns pequis. Compro um monte. E me delicio.
Passear pelo Cerrado, me espere!

bjs.

Patty Diphusa disse...

Andarilha, acho que o episódio Caetano teve alguns fatos positivos. Primeiro me fez tirar os CDs do Chico da estante, andava precisando ouvir mesmo. Segundo me mostrou que o Zé Celso Martinez está mais lúcido do que eu imaginava. Terceiro, me fez entender que às vezes ele perde boas oportunidades para cantar.
Mas é sempre assim, já deveríamos estar acostumados. CD novo, show disputando atenção com grandes atrações em São Paulo, que fazer? Criar falsas polêmicas. Dessa vez nem o Nelson Motta, aliado de primeira hora, entendeu. Dá pra sentir o nível?

bjs